Dia Mundial da Saúde 2019: A equidade no acesso à saúde

A 7 de Abril comemora-se o Dia Mundial da Saúde com uma campanha anual da responsabilidade da Organização Mundial de Saúde (OMS). A cada ano corresponde um pensamento específico e linhas orientadoras para a saúde pública mundial.

A campanha de 2019 visa ajudar as pessoas a entender melhor o que significa cobertura universal de saúde – que serviços e suporte devem estar disponíveis para todos e onde.

A estratégia passa por fornecer material visual que ajude as pessoas que têm acesso a assistência médica de qualidade a compreenderem como é a vida das pessoas que não a possuem, incentivando-as a lutar pelo acesso igual aos cuidados, em qualquer lugar.

Os profissionais de saúde terão um papel importante a desempenhar na campanha, ajudando os decisores políticos a reconhecerem o que as pessoas precisam em termos de atendimento, particularmente nos cuidados de saúde primários.

A campanha pretende ser também uma oportunidade para os ministros da saúde e outros decisores dos governos se comprometerem a tomar medidas para abordar as lacunas na cobertura universal de saúde nos seus países, bem como para destacar o progresso que já foi feito.

 

Como podemos ajudar?

A campanha insiste no reforço dos cuidados de saúde primários que cobrem a maioria das necessidades de saúde dos indivíduos ao longo da vida. Incluem serviços como triagem para doenças, vacinas, informações sobre prevenção, planeamento familiar, tratamento de patologias de curto e longo prazo ou reabilitação.

A 7 de Abril será divulgada a publicação anual de dados de saúde da OMS, o Relatório Estatístico da Saúde Mundial. O documento incluirá informações sobre tendências de saúde em áreas específicas, como saúde infantil e neonatal, doenças não transmissíveis, saúde mental e riscos ambientais, além de dados sobre cobertura universal de saúde e sistemas de saúde.

Para obter uma melhor noção sobre os países e populações mais carenciados são precisos dados estatísticos discriminados por sexo, idade, salário, localização, educação e outros fatores que afetam o acesso aos cuidados de saúde.

A OMS recorda que a saúde é um direito humano e que pelo menos metade das pessoas no mundo não recebe os serviços de saúde de que precisa. Cerca de 100 milhões de pessoas são empurradas para a pobreza extrema a cada ano por causa dos gastos diretos com a saúde.

Cuidados de saúde inseguros e de baixa qualidade destroem vidas e custam ao mundo triliões de dólares anualmente: é preciso fazer mais para melhorar o nível dos serviços de saúde globalmente.

Este dia é uma oportunidade de comunicação global sobre a importância da equidade no acesso aos serviços de saúde, não apenas para os indivíduos, mas também para a saúde das economias e da sociedade como um todo.

Panel Heading

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur. Excepteur sint occaecat cupidatat non proident, sunt in culpa qui.