Doar sangue é um ato essencial de cidadania

Homem a doar sangue

A 14 de junho comemora-se o Dia Mundial do Dador de Sangue, a ocasião ideal para recordar a necessidade de doar sangue como uma prática de cidadania, saúde e solidariedade. O sangue não pode ser fabricado e a necessidade de reservas é uma realidade. É consensual na comunidade científica e médica que esta doação não tem consequências negativas para a saúde de quem está habilitado a doá-lo.

A realidade nacional

De acordo com os dados mais recentes do Instituto Português do Sangue e da Transplantação (IPST), em 2021 houve cerca de 310 mil dádivas de sangue, proveniente de 204 mil doadores. Nesse ano, registou-se um aumento relativamente aos anos pré-pandemia.

A média de idades tem-se mantido nos 40 anos, com um aumento de 1,5% em 2021 na faixa etária mais jovem (18-24 anos). Estes últimos são os que mais abandonam a dádiva.

Em Portugal, 47% da população é do grupo sanguíneo A, 42% é tipo O, 8% tipo B e 3% AB.

Quem pode doar sangue?

Podem doar sangue as pessoas entre os 18 e os 65 anos, sendo que para a primeira doação a idade limite é os 60 anos. Ser saudável e pesar no mínimo 50 quilos é também um requisito. Há, portanto, uma grande faixa da população que o pode fazer.

Não é impedimento:

  • ter piercings ou tatuagens. É apenas necessário aguardar pelo menos quatro meses após a sua realização.
  • ter um tipo de sangue comum. São também os tipos de sangue que são necessários em maior quantidade.

Existem alguns constrangimentos à doação, indiretamente relacionados com a condição de saúde, mas muitos são impedimentos apenas temporários. Cumprido o prazo estipulado de “quarentena” – que pode ir de uma semana a 6 meses, de acordo com situações específicas – pode voltar a dar sangue em qualquer altura.

Não é preciso marcar

Nos Centros de Sangue e da Transplantação de Lisboa, Porto e Coimbra do IPST pode dar sangue de segunda-feira a sábado. No site do IPST pode consultar as sessões de colheita realizadas no nosso país, por data e local.

 Só precisa de 30 minutos para doar sangue

O procedimento de recolha de uma dádiva de sangue demora cerca de 30 minutos e os intervalos mínimos recomendados entre cada doação são de 3 meses para os homens e 4 meses para as mulheres. Pode dar sangue 3 vezes por ano (se for mulher) e 4 vezes por ano (se for homem), o que perfaz um máximo de duas horas anuais, no total.

 Tem direito ao seguro de dador

Um dos direitos consagrados na lei é o acesso a um seguro que garante ao dador a indemnização por danos resultantes da dádiva ou de acidentes que possa sofrer no percurso de ida e volta do local de colheita, em território nacional.

Comments
Comments are closed.

Panel Heading

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur. Excepteur sint occaecat cupidatat non proident, sunt in culpa qui.