Dia Mundial da Doença de Alzheimer

Dia Mundial da Doença de Alzheimer

21 de setembro marca o Dia Mundial da Doença de Alzheimer. Esta doença, que provoca uma deterioração progressiva do funcionamento cognitivo, é suficientemente grave para ter repercussões na vida social, profissional, familiar e comportamental.  Atualmente, graças aos desenvolvimentos tecnológicos e científicos, é possível ter uma visão cada vez mais otimista sobre a investigação desta doença.

O que é o Alzheimer

É uma doença rara abaixo dos 60 anos de idade (menos de 2% dos doentes), e muito frequente depois dos 85 anos (perto de 50% dos indivíduos). A doença de Alzheimer[1] é de cariz neurológico progressivo e o tipo de demência mais frequente. É uma doença progressiva que começa com uma ligeira perda de memória e que evolui até uma potencial incapacidade total. Envolve partes do cérebro que controlam o pensamento, a memória, e a linguagem.

Quais são os sintomas da doença de Alzheimer?

O primeiro sintoma é, geralmente, um défice de memória recente[2].

Mais tarde, surgem outros défices cognitivos, tais como:

  • Alterações de linguagem;
  • Alterações na capacidade de planeamento e abstração;
  • Dificuldades de cálculo;
  • Perda da orientação espacial.

 

Descobertas recentes

  • Universidade de Coimbra

Uma equipa multidisciplinar de cientistas da Universidade de Coimbra (UC) e do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), coordenada por Miguel Castelo-Branco (UC) e por Isabel Santana (CHUC), fez uma descoberta importante: um hotspot triplo de patologia cerebral na doença de Alzheimer.

Este avanço no conhecimento da doença pode vir a ter implicações muito importantes em tratamentos futuros, dado que permite aos investigadores identificarem um alvo cerebral de alteração precoce, relacionado com a perda de memória.

  • O princípio ativo do Viagra

Um estudo computacional, conduzido pela Cleveland Clinic, centro médico de investigação norte-americano, e publicado na revista de saúde Nature Aging, analisou dados de mais de sete milhões de pacientes e permitiu concluir que o Sildenafil, o princípio ativo do medicamento para tratar a disfunção erétil, pode ser promissor na prevenção e tratamento do Alzheimer.

  • A importância do exercício físico

Numa ótica mais ligada à prevenção, um estudo publicado na revista Alzheimer’s & Dementia: The Journal of the Alzheimer’s Association[3] revela que o exercício físico aumenta os níveis de uma proteína conhecida por fortalecer a comunicação entre as células cerebrais através de sinapses. De acordo com os cientistas responsáveis por este estudo, fazer exercício físico pode ser um fator decisivo para prevenir a demência, sendo defendida a lógica de que “quanto maior a atividade física, maior o nível de proteínas sinápticas no tecido cerebral”.

Tratamentos para a doença de Alzheimer

Apesar de ainda não haver uma cura, há vários tratamentos que melhoram os sintomas e modificam efetivamente a expressão da doença, retardando o processo de deterioração e perda de autonomia.

 

Num dia importante como este, convidamo-lo a saber mais sobre esta doença através da Associação Azheimer Portugal, em http://alzheimerportugal.org. Pode encontrar ainda várias formas de apoiar esta causa.

 

 

[1] https://alzheimerportugal.org/

[2] https://www.hospitaldaluz.pt/pt/dicionario-de-saude/alzheimer-diagnostico-precoce

[3] https://alz-journals.onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1002/alz.12530

 

Panel Heading

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur. Excepteur sint occaecat cupidatat non proident, sunt in culpa qui.