Dia Mundial do Cérebro

Sabe como defender o seu cérebro?

O cérebro, cujo Dia Mundial se assinala neste dia 22 de julho, é um dos mais extraordinários recursos do corpo humano. Os neurónios são algumas das nossas células mais preciosas, porque sabemos que não as conseguimos regenerar. É preciso estar alerta para defender a saúde do cérebro com alimentação saudável, exercício físico e aprendizagem contínua e para a vida, de modo a exercitar os neurónios e as suas ligações.

Manter o cérebro ativo

A ideia de manter o cérebro ativo devia ser ensinada nas escolas, desde as mais tenras idades. ajudando a prevenir uma série de potenciais patologias. A estrutura do cérebro funciona como um músculo que quando não é usada definha e precisa de ser reativada. Manter esta atitude ao longo da vida, e mesmo para ajudar a ultrapassar fases psicológicas menos positivas, é muito importante, nomeadamente para prevenir uma série de patologias, como as doenças de Alzheimer ou Parkinson, que as neurociências tanto se esforçam por investigar. Podemos dizer mesmo que, em termos do conhecimento do cérebro e das suas potencialidades, como o campo da Consciência e da forma como esta é criada, a Ciência terá apenas alcançado a ponta do iceberg.

Cada vez que aprendemos uma coisa nova, por exemplo, seja uma habilidade mecânica, uma língua, um instrumento musical, conduzir um veículo, um novo desporto, fazer crochet ou jogar xadrez – o cérebro cria uma nova rede de neurónios, por meio de sinapses, as ligações entre neurónios. Há muitos estudos que falam da capacidade que existe de aumentar as capacidades cognitivas, caso o indivíduo aposte na aprendizagem contínua, bem como de travar a deterioração cerebral que já esteja em curso. Ao contrário, atividades consideradas passivas, como ver televisão ou estar demasiadas horas exposto a redes sociais, não ajudam o cérebro a manter a sua função.

Manter o corpo ativo e comer bem

A alimentação equilibrada é essencial. Como alimentos amigos do cérebro estão garantidos os frutos secos, as castanhas, os peixes gordos, os frutos vermelhos, o tomate, as uvas, os espinafres, os ovos, chás verdes, vermelhos e brancos e cereais como a quinoa. As vitaminas do complexo B são fundamentais, assim como todos os alimentos que contêm ácidos gordos, ómega-3 e antioxidantes. O excesso de calorias prejudica a função, bem como o consumo de álcool, tabaco ou estupefacientes.

O exercício não é menos importante neste campo, tendo-se provado até que, através dele, é possível criar mais células na área cerebral que é importante para a memória, o hipocampo. Estudos científicos recentes mostram que o exercício também melhora a secreção do fator neurotrófico cerebral, uma proteína que age sobre certos neurónios do sistema nervoso central e periférico, ajudando na manutenção dos neurónios e permitindo o crescimento de novas células cerebrais e suas ligações. Isto influência positivamente a memória e a manutenção do humor, permitindo que novos neurónios nasçam no nosso hipocampo. É por isso que educar as crianças e a população em geral para o desporto não é essencial só para a saúde do corpo, como também ajuda o cérebro a permanecer mais jovem.

Recorde algumas curiosidades sobre o cérebro:

  • O cérebro humano gera cerca de 12 a 25 watts de eletricidade – o suficiente para acender uma lâmpada;
  • Em média, o cérebro pesa cerca de 2% do peso total do nosso corpo e utiliza 20% de toda o oxigénio da nossa corrente sanguínea;
  • Cada vez que criamos uma memória, também criamos novas ligações no cérebro;
  • Os humanos têm cerca de 70.000 pensamentos por dia;
  • O cérebro é composto por sensivelmente 75% de água;
  • Até um litro de sangue flui através de um cérebro humano adulto a cada minuto;
  • O nosso cérebro é composto por cerca de 100 mil milhões de neurónios;
  • Cada neurónio está ligado, em média, a 40000 sinapses, as ligações entre neurónios;
  • Um pedaço de cérebro do tamanho de um grão de areia contém cerca 100.000 neurónios e 1000 milhões de sinapses;
  • A informação cerebral movimenta-se a cerca de 420 Km/h;
  • A capacidade de armazenamento de um cérebro humano é considerada ilimitada e ao contrário da RAM dos computadores não fica desgastada;
  • Assim como os comboios, os sinais cerebrais viajam nos carris. Os neurónios recebem dados por caminhos curtos e ramificados chamados dendritos. Os sinais de saída usam axónios longos e filiformes, alguns dos quais com vários metros de comprimento;
  • Em vez de apenas comparar cérebros a corpos, os cientistas também podem usar o quociente de encefalização (QE) para comparar a massa cerebral de um animal com a massa cerebral típica de espécies relacionadas. O QE humano de 6,56 é o mais alto conhecido, seguido por vários golfinhos: o golfinho-baleia franca (5,55), o golfinho nariz de garrafa (5,26) e o golfinho de Commerson (4,97). Outros animais com QE alto incluem macacos (3.15), chimpanzés (2.63), gorilas (1.75) e coiotes (1.69).

Panel Heading

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur. Excepteur sint occaecat cupidatat non proident, sunt in culpa qui.