Entrevista a João Ribeiro – Estagiário de Assuntos Regulamentares

Os estágios podem ser oportunidades de definirmos o nosso caminho numa altura em que todas as opções relativamente ao futuro profissional estão em aberto. Hoje damos-lhe a conhecer João Ribeiro, que estagiou durante dois meses na Alliance Healthcare na Área de Assuntos Regulamentares. Nesta entrevista, vamos descobrir o que levou o João a concorrer aos estágios da Alliance Healthcare, bem como por que área o aluno de Farmácia Biomédica se vê a enveredar no futuro.

  1. Como teve conhecimento do programa de estágios da Alliance Healthcare e o que o levou a concorrer?

Conheci este programa através das redes sociais da APEF – Associação Portuguesa de Estudantes de Farmácia. Concorri a este estágio para fazer um primeiro contacto com a Indústria e Mercado Farmacêuticos antes de concluir o ciclo de estudos.

  1. Em que área está a estagiar e no que consiste o seu trabalho?

O estágio que estou a realizar é na área regulamentar, e, ao contrário do que se pensa, não é de todo um trabalho monótono. Entre tratar de assuntos relacionados com o ciclo de vida dos produtos (medicamentos, dispositivos médicos e cosméticos) das marcas próprias, gerir AUEs e tratar de situações pontuais que possam ocorrer a qualquer altura do dia, há sempre algo, de diferente, para resolver.

  1. Já terminou o seu ciclo de estudos ou pretende continuar? Em que área?

Neste momento estou a concluir o 2º ciclo de estudos no Mestrado de Regulação e Avaliação do Medicamento e Produtos de Saúde, estando neste momento à procura da primeira experiência profissional.

  1. Foi fácil o processo de adaptação ao estágio?

Sem dúvida que este processo foi bastante facilitado pela equipa onde fui integrado, pois sempre mostraram disponibilidade para ajudar em qualquer situação, criando um clima de entreajuda e boa disposição, tanto a um nível profissional, como também pessoal.

  1. Que conhecimentos e aprendizagens gostaria de obter através desta experiência?

Principalmente, perceber o ambiente profissional dentro de uma grande empresa do Mercado Farmacêutico em Portugal, e também a aplicação dos conhecimentos teóricos até agora adquiridos durante o percurso académico, na prática.

  1. Que impacto espera deixar na empresa?

Acima de tudo espero ter deixado a imagem do meu profissionalismo e trabalho de equipa. É importante referir de novo que a Alliance Healthcare me tornou num melhor profissional, permitindo-me adquirir novos conhecimentos bem como conhecer profissionais de excelência. Desse modo espero que o trabalho que desenvolvi até agora deixe uma marca na empresa e nos meus colegas, tal como me deixará a mim.

  1. Já tem uma ideia clara da área que pretende seguir dentro da indústria?

Apesar de não ter uma ideia clara, tenho particular interesse na área regulamentar, e em áreas que envolvam os diferentes stakeholders da Indústria e do ciclo de vida do medicamento.

  1. Que ideia tinha da Alliance Healthcare antes de iniciar o estágio?

Muito sinceramente, apenas conhecia a Alliance Healthcare como o maior distribuidor por grosso de medicamentos e produtos de saúde em Portugal.

  1. O que mais o surpreendeu/gostou na Alliance Healthcare? E do estágio em concreto?

Sem dúvida que este estágio, apesar de ter sido de curta duração, me fez crescer a um nível pessoal e profissional. Ao nível pessoal pela envolvência com os restantes colegas, que sempre me fizeram sentir em casa. A um nível profissional o que mais gostei neste estágio foram dos desafios que foram surgindo, que me permitiram desenvolver o meu espírito crítico, e como referido anteriormente, aplicar os conhecimentos teóricos à prática.

Panel Heading

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur. Excepteur sint occaecat cupidatat non proident, sunt in culpa qui.